Dióxido de titânio, desconhecido em segurança alimentar

Há uma consciência cada vez maior dos ingredientes que compõem os alimentos que comemos. No final das contas, nossa dieta é parte fundamental de nossa saúde. Nesse sentido e com o objetivo de continuar descobrindo quais compostos são benéficos ou não, o Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) publicou novas informações sobre o dióxido de titânio -também conhecido como E171, que é um corante alimentar-. A entidade europeia lembra que, como aditivo, não pode continuar a ser considerado seguro. Por quê? Vamos descobrir!

O que é dióxido de titânio?

Antes de entrar no assunto, o que é dióxido de titânio? Como já dissemos, também pode ser chamado de E171, e é um Corante alimentar. A verdade é que, além de estar presente na cozinha, também pode ser encontrado em outros produtos, como alguns cosméticos ou medicamentos. Em qualquer caso, sua principal função é mostrar o alimento no qual está presente de forma mais atrativa para o consumidor.

dióxido de titânio

O dióxido de titânio é encontrado em alimentos como goma

É autorizado como aditivo alimentar pela União Europeia. No entanto, após sua avaliação de 2016, foi decidido reavaliar o composto, para confirmar sua segurança. Na verdade, tem havido um debate na Europa há vários anos sobre se ele deve ser usado na alimentação ou não. A França, por exemplo, da Agência Francesa de Segurança Alimentar, Ambiental e de Saúde Ocupacional (ANSES), queria banir este produto porque seus riscos para a saúde não eram conhecidos com certeza.

Dióxido de carbono, na corda bamba

Foi a pedido da Comissão Europeia (CE) que o AESA Reviu a avaliação que já tinha sido realizada em 2016 e que especificava, segundo a própria EFSA, “a necessidade de realizar mais investigação para colmatar lacunas de dados”. Foi assim que o risco de consumir foi atualizado dióxido de titânio como aditivo alimentar. Na verdade, o professor Maged Younes, Presidente do painel de especialistas da EFSA em aditivos e aromatizantes alimentares (FAF) esclareceu o motivo desta notícia.

"Um elemento crítico para chegar a esta conclusão é que não podemos excluir problemas de genotoxicidade após o consumo de partículas de dióxido de titânio", explicou ele. É importante notar que, embora não seja um perigo como tal, “após a ingestão oral, o a absorção de partículas de dióxido de titânio é baixa, mas podem se acumular no corpo ”.

Anteriormente, mencionamos um conceito um pouco mais técnico: genotoxicidade. E o que é genotoxicidade? É, nas palavras da entidade europeia, “a capacidade de uma substância química de danificar o DNA, o material genético das células”. É importante saber o nível de genotoxicidade de uma substância, pois em alguns casos pode aumentar o risco de sofrimento certas patologias.

A respeito de E171, os testes não foram totalmente conclusivos, portanto, “não pudemos descartar a preocupação com a genotoxicidade e, conseqüentemente, não pudemos estabelecer um nível seguro para a ingestão diária do aditivo alimentar”. Sabendo disso, os Estados-Membros da União Europeia poderão estudar cuidadosamente as medidas mais adequadas para poderem estabelecer um Ingestão Diária Aceitável -INDO-.

Quais alimentos contêm E171?

Depois de aprender que este composto não é mais considerado seguro como aditivo alimentar, a primeira questão que surge é: e quais alimentos Eles contém dióxido de titânio? Principalmente, é encontrado em produtos de panificação fina, molhos, guloseimas e goma. A questão, então, é: a EFSA recomenda parar de comer esses alimentos? Não de forma estrita, mas de acordo com seus depoimentos é claro que quanto menos você consumir esse tipo de produto, melhor.

Vários especialistas no assunto falaram sobre esta notícia. Entre eles, Miguel Ángel Lurueña, doutor em Ciência e Tecnologia de Alimentos, que explicou com perfeição o que exatamente significa que o dióxido de titânio não é mais considerado seguro.

Seja como for, a ideia é compreender que, conhecendo as informações que a EFSA nos disponibilizou, o consumo destes alimentos é regulado, de forma a eliminar um composto como dióxido de titânio. Você vai parar de comer os produtos mencionados acima que contêm o referido corante? 

ação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.